fica a dica !!!!

Tem gente que se incomoda comigo, mas eu nao me acho, onde eu chego eu sempre marco presença… Nao estou aqui pra agradar ninguém, pois quem gosta de mim, nao me modifica e sim me completa… E doa a quem doer, nunca vou mudar esse meu jeitinho insuportável, pois sempre serei o menino da voz irritante e aquele que todo mundo chama de chato, mas nao vive sem ele!!!- Todas são iguais mas esse é diferente….

o amigo do meu pai

Olá me chamo Eduardo (nome ficticio), tenho 18 anos, sou moreno 1,79 de altura 63 kilos e passivo.

Bom numa noite de fim de semana estou em casa com meu pai, até que:

– Filho, vou no bar da esquina, se algum amigo meu perguntar pro mim, diz que estou lá.
– Tudo bem.

Então meu pai se foi, aproveitei e entrei no bate papo pra fazer a minha caça por alguns ativos, com um nick muito singelo ”Passivo de calcinha”, gosto deste nick, pois atrai muitos homens. Logo alguns minutos, ouso a buzina de uma moto, vi que era um amigo do meu pai, se chamava Marcos, era um homem maduro, por volta de uns 40 anos, magro alto do tipo do homem que eu adoro.

– Seu pai onde está?
– Ele está no bar da esquina.
– Ok, vou até la.

Quando ele liga a moto ele me chama novamente:

– Vou esperar ele aqui mesmo, você está só?
– Sim, pode entrar.

Fiquei um pouco nervoso e ansioso no momento, um homem gostoso estava diante de mim, e estavamos sozinhos. Então voltei a mecher no computador enquanto ele esperava meu pai, até que ele vem até a porta do meu quarto e começa a puxar assunto:

– Você tem Orkut?
– Sim tenho porque?
– Eu tambem tenho, mas não sei usar direito, você pode me ensinar?
– Posso sim, é facil!

Quando ele chega perto de mim, meu coração dispara, mas não mostrei o meu desconforto, continuei ensinando ele, até que vejo um volume na sua calça, vendo aquilo tentei me controlar para não me excitar, mas foi em vão, não conseguia parar de olhar para aquele volume maravilhoso, e logo ele percebe, fico totalmente contrangido, mas continuo agindo naturalmente, logo então ele pergunta:

– Gostou?
– Oque?
– Gostou do meu volume na calça?
Com um pouco de vergonha digo:
– Sim, parece ser bem grande.
– Você quer ver?
– Sim.
Então logo ele tira aquela pica maravilhosa e começa a bater uma na minha frente, eu não acreditava muito no que estava vendo, era uma pica deliciosa, tinha por volta de 17 cm, muito grossa, com as veias bem saltadas, o tipo do pau que eu adoro. Não aguentei ficar olhando por muito tempo e cai de boca naquele homem, chupei muito aquela pica, enquanto ele brincava com o meu cuzinho com os dedinhos, ele gemia demais, era uma delicia aquela voz grave gemendo só pra mim, logo já tiramos nossas roupas e fazemos um 69, ele chupou meu cuzinho de mais, eu não estava aguentando aquela lingua quente passando entre minhas pregas, logo ja tirei uma camisinha e um gel lubrificante e virei de frango pra ele e disse:

– Me come meu macho delicioso, me faz sentir essa pica deliciosa entrando dentro de mim!

Logo ele obedece e começa a penetrar meu cú, nem parecia que era a segunda vez que eu estava dando, foi maravilhoso, ele é o tipo de homem que sabe foder. Então depois de me foder de frango, ele me vira de 4 e me fode com muita força, aquela pegada era uma coisa inesplicavél, logo então não aguento e gozo muito, logo depois ele goza junto dentro da minha bunda. Vendo seu pau ja amolecendo, caio de boca novamente e chupo ele até gozar na minha boca. Então nos vestimos levo ele até a porta e dizemos o seguinte:

– Adorei nossa foda, você sabe como dar bem o cuzinho hein.
– Eu? é a segunda vez que eu estou dando.
– Nossa, sério? você da muito bem, deveria ser ator porno HAHAHAHA.
– HAHAHAHA obrigado…
– Gostei muito, quero uma segunda vez.
– Quero tambem, nós vemos por aí.
– Falou, se cuida garoto!
– Se cuida tambem, boa noite!

Então la se vai Marcos, que homem, estou louco para nossa proxima transa, ele tem muita experiencia.

no banheiro da escola

Eu tenho 18 anos, mim chamo Lucas, estudo o terceiro ano do ensino médio tenho um corpo, vamos dizer, Malhadinho, 1,65 Alt., cabelo Loiro, sempre gostei de freqüentar a escola, pois acho ser fonte dos nossos conhecimentos, era uma dia de Quinta-Feira os professores quase todos tinham compromissos durante o dia, e não poderia aparecer na escola, sabe aquele dia que não tem quase ninguém na escola, então, decidir ir ao banheiro mijar, estava vestido em uma calça, blusa do uniforme e Sapato, No banheiro tem somente 2 vagas , uma era pra deficiente , E a outra era normal pra todos, decidir então ir no de deficiente já que o outro estava ocupado, quando eu ia entrando, saiu um moleque, Felipe, o mais gostoso da escola, malhado ,1,70 ,Cabelo moicano, estava com calças justa ao corpo, dava pra se ver o volume dele.

Eu perguntei assim pra ele: -Vai usar o banheiro ainda? , Ele sorrindo disse: – Não, pode ficar à-vontade! Eu entrei no banheiro e urinei ao sair do banheiro vi que ele estava a eu olhar de longe, dei uma breve olhadinha, Ele com a mão no pau, deu uma piscadinha.

Nossa eu delirei de tesão, entrei pra sala de aula e terminei minha atividade, Logo em seguida a professora liberou agente .No outro dia eu com intenção de ver aquele homem novamente, Fui ao banheiro ele estava no final do corredor quando mim viu, eu entrei e fiquei esperando, cara quando ele entro não mim segurei,Encostei ele na parede e beijei-o esfregando meu corpo sobre o dele,pegando no pau dele que já estava uma vara, deveria ter 17 Cm,devagar eu fui abrindo o Zíper da calça dele, uma calça justa mais de outra cor, uma cor verde, Abracei ele poupado a bunda dele, decidimos entrar pro banheiro, caso ficasse ali alguém visse, entramos na vaga de deficiente pois tinha mais espaço, tranquei a porta logo em seguida desabotoei o botão da calça dele tirando o pau dele pra fora, e fazendo um belo Boquete.

Ficamos uns 20 minutos no boquete, depois ele mim puxou e tirou minha calça pegando fortemente em minha bunda, por eu ser novo é empinadinha, E mim levantou Abrindo minha bunda , colocou um pouco de saliva no dedo e colocou na portinha do meu cuzinho, E amaciou espalhando a saliva, sentando no vaso sanitário ele pediu pra mim sentar no pau dele, eu como estava louco pra ver aquele pau entrando dentro do meu cuzinho sentei, Nossa escorreguei naquele pau , estava com muita dor mais conseguir botar aquele pau pra dentro, E sentir os pêlos encostando em minha bunda, encostando os ovos dele em minha bunda, eu delirava de prazer, ele fazendo vai e volta, Depois ele pediu pra mim ficar de quatro, mais o piso estava sujo de urina, Ai então fiquei de quatro encima do vazo sanitário, ele encostou aquele pau delicioso na portinha do meu cú e começou a bomba forte muito forte eu gemia de prazer e dor, Nossa aquele dia pra mim foi uns dos melhores que eu já tive em minha vida pois o Felipe mim comeu dentro do banheiro da Escola, continuamos nos encontrando, mais com pouca freqüência!

socanagem pra festejar meus 18 anos

Bom, começo me apresentando. Sou Pietro (fictício), Tenho 18 anos, por volta de 1,70 de altura, uns 55kg, moreno, olhos escuros. Não me considero bonito, mas os caras dessa cidade vivem querendo me pegar hehe !

Moro numa cidade bem pequena, como sou muito discreto dificulta por que poucos percebem que o que gosto mesmo é sacanagem com homens fodões.
Enfim, andava com um tesão maluco ultimamente e só crescia, acabei de completar 18 anos e resolvi procurar um cara que rasgasse as pregas do meu cuzinho até então bem fechado. Já chupei algumas vezes, alguns tentaram me enrabar só que doía muito e por falta de um jeitinho nunca dava certo. Até que no dia do meu aniversário, a tarde, entrei no bate-papo da cidade procurando ativos discretos. E encontrei !

Ele de início não se descreveu, falou apenas sua idade (27 anos) e que morava bem próximo de mim, como tava com um tesão grande no susto marquei de se encontrar com ele na sua casa, pois sua mulher trabalha e ele fica todas as tardes sozinho em casa.

Me arrumei, se atrasei um pouco, mas fui. Cheguei no lugar marcado e com alguns minutos ele aparece na janela da sua casa e me manda subir as escadas, chego lá é que pude analisar o cara. Mais baixo que eu, por volta de 1,67, 68Kg, corpo legal (nem fortão, nem gordão, nem magrinho demais), peludo (prefiro lisinhos, mas com tesão tanto faz).

Aqui vou chamá-lo de Igor… Assim que nos conhecemos ele disse que tava resolvendo um problema no computador dele e me pediu pra esperar no sofá, fiquei sentado esperando, demorou um pouco, mas de vez enquanto o Igor vinha e me tascava uns beijos gostosos e umas sarradas pra me excitar. O problema no PC tava bem difícil e ele resolveu desistir por que tava doido pra me atacar. Fomos pra o quarto de hóspede e começamos, amassos, beijos, ele com aquela barfa mal-feita que me deixou louco, a ter delírios. Fomos nos despindo aos poucos e comecei a mamar o pau dele que já se encontrava duro, não muito grande (uns 17 cm), mas super grosso. Mamei legal por uns minutos e ele logo veio me fazer um cunete maravilhoso, pense numa língua ágil, delirante. Com uns minutos ele logo encapou a jeba com uma camisinha, passou um creme pra lubrificar e começou a forçar no meu cuzinho virgem. Ele todo carinhoso, forçava mas via que tava doendo muito, e realmente eu estava morrendo de dor já. Eu devia ter dito a ele pra começar enfiando o dedo, depois dois, pra ir abrindo caminho e me fazer relaxar (vi muito disso nos contos que li aqui). Mas na hora, a dor tava insuportável e resolvemos ir pro banheiro, tomamos um banhos um masturbando o outro, gozamos legal, eu no chão e ele na minha cara me dando uma surra de pica forte.

Voltamos pro quarto, já ia vestindo a roupa, mas ele me despiu de novo e disse que queria mais sacanagem, tava receoso mas acabei cedendo. Ai ele resolveu me chupar, eita boca gostosa da porra, nunca tinha sido chupado, mas já gostei. Ai fizemos um 69, foi quando vi que o cuzinho dele já era meu aberto, aguentava dois dedos fácil, nunca pensei em ser ativo até então, só que aquilo cresceu meu tesão mais ainda (quem sabe um dia). Logo ele resolve chupar meu cuzinho um pouco mais e depois eu fiz o mesmo nele. Nos levantamos e ficamos nos sarrando bastante, dei umas surras de pica com meu pau de uns 20 cm e vi que ele tave meio querendo me dar. O tempo passou rápido e eu já devia ter ido pra casa, ai resolvemos parar, mas a sacanagem tava tão boa que ele só me largou por que a mulher dele ligou dizendo que ia pra casa. Despedi-me e partir maravilhado. Vamos marcar outras em breve, espero que da próxima ele consiga me enrabar melhor, foi só o que faltou, queria muito ser bombado. Mas sinto que haverá outras oportunidades, e venho contar pra vocês. E no fim do dia, não sai pra festejar meu aniversário, mas a sacanagem com o Igor já satisfez meu dia.

Corôa da pescaria

Era uma viagem para o casamento de um primo do interior. Alugamos um ônibus que levou muitas pessoas, todos parentes para a fazenda onde ele morava, e onde aconteceria a festa no outro dia. Foi uma viagem de oito horas até lá. Passamos pela ponte antes de chegar na fazenda, e logo percebi aquele senhor pescando tranqüilamente ao lado do rio…
Todos desceram do ônibus, muita gente se cumprimentando, mas eu estava atento em ir ver aquele senhor, que de longe me agradou tanto. Tive de esperar até que todos estivessem instalados, daí eu poderia dar uma volta pela fazenda. De imediato fui lá perto da ponte para ver se encontrava aquele homem, mas infelizmente não mais o vi. Eu sempre gostei de senhores mais velhos, coroas me atraiam desde a infância, e eu já tinha 19 anos. Fui até a ponte para observar o rio, quando o vejo no outro lado do rio ainda pescando. Fiquei contente e fui na direção dele. Aproximei-me e me apresentei. Era um senhor bem simples, de interior. Se chamava Miguel, usava uma bermuda e uma camiseta branca, mas o que me encantou foi aquele chapei na cabeça e aquele bigode grisalho… Fiquei mais de uma hora conversando com aquele homem, e combinamos que no outro dia bem cedo iríamos descer um pouco o rio para pescar.
Sete horas da manhã lá estava eu no local combinado. Logo ele chegou, estava exatamente com a mesma roupa. Ele morava na fazenda, al lado, era um empregado como outros. Mas nos fins de semana ele gostava de pescar tranqüilamente.
Caminhamos por uma trilha no mato ao lado do rio, ele na frente e eu atrás. Eu ia observando aquele homem, quieto, meio gordinho, um jeito quieto, aquele bigode grisalho combinava com a barba mal feita em seu rosto, e aqueles olhos negros. Ele deveria ter uns sessenta e poucos anos. Caminhamos por quase meia hora, de repente ele me mostra o lugar de pescar. Era um lugar de mato fechado, mas que tinha uma madeira no barranco embaixo de uma pequena árvore. Arrumamos as varas e ficamos ali pescando.
Ele era de poucos assuntos, mas eu falava a todo momento. Queria arrumar um jeito de tocar em assunto de sexo, meio sem jeito fui falando que tinha uma prima gostosa, que só de pensar eu ficava de pau duro. Comecei a pegar no meu pau duro por cima da bermuda. Ele olhava e dava um sorriso tímido quando eu pedia para ele olhar como eu estava. Eu disse a ele que aquele lugar era muito escondido, e se eu quisesse bater uma punheta ali ninguém iria saber, só nós dois. Perguntei a ele se eu poderia e ele me disse para ficar a vontade. Levantei-me, tirei minha camiseta e minha bermuda com a cueca, fiquei completamente pelado e me sentei novamente ao lado dele. Abri minhas pernas e comecei a bater uma punheta, dizia a ele que estava com muito tesão e pedia para ele ver como meu pau estava duro, ele olhava e sorria. Perguntei a ele se também batia punheta, ele disse que poucas vezes fazia isso. Pedi a ele para bater uma também e perguntei o tamanho do pau dele. Ele disse que era do “tamanho comercial”. Eu sorri e perguntei quantos centímetros tem o tamanho comercial, ele me disse que tem de 10 a 15cm. Pedi para me mostrar, insisti até que ele se levantou, abriu o zíper e tirou o pau, meio mole, mas um pau de coroa, do jeito que eu gostava. Perguntei se eu poderia pegar e ele concordou. Peguei e mexia bastante, até que me aproximei e coloquei na boca… Ele gostava, não demorou muito a ficar duro, ele segurava minha cabeça e empurrava seu pau na minha boca. Mas eu queria ver todo o corpo dele, abraçar e tudo mais. Me levantei, ele também segurou no meu pau, pedi a ele para tirar sua roupa e ele concordou. Era um corpo gostoso, uma bunda branca, peito cabeludo e gostoso. Agarrei ele num abraço com meu pau no meio das pernas dele. Tentei agarrar ele por trás, mas não deixou encostar meu pau na bunda dele. Então novamente me ajoelhei e coloquei aquela coisa gostosa na minha boca, ele pedia para eu chupar, fui chupando até que ele disse que iria gozar. Fui chupando todo o pau na minha boca, ele gemia e segurava minha cabeça com as duas mãos, até que senti sua porra lá na minha garganta que engoli direto. Ele gemia e tremia todo o corpo, com o pau bem fundo na minha boca. Aquele líquido salgadinho, grosso sendo colocado direto dentro de mim… Chupei ainda o pau meio mole, até que ficasse com a cabeça vermelha. De joelhos eu bati uma punheta, que quando eu ia gozar, me levantei e mostrei a ele a minha porra saindo e espirrando no rio… Gozei tanto que ele ficou assustado. Mas logo ele se vestiu, se sentou e quis ir pra casa, dizendo que já era hora. Vi em seu rosto a expressão de vergonha… mas já tinha acontecido…
No outro dia, na festa eu o vi com sua mulher. Bem vestido, com roupas bonitas, bem passadas, nem parecia aquele mesmo homem, era muito mais atraente. Mas durante a noite toda nem pude falar com ele, só trocamos olhares rápidos e não tive mais contato… No outro dia cedo após a festa voltamos para casa… Mas ainda espero o dia de voltar para beber um pouco mais daquele leite salgadinho e tão excitante…

Senti vontade e fiz!

Há quatro anos os ventos pareciam favoráveis para um recém-adulto que precisava de uma diversão. Sim, pra mim diversão é sexo e todas as suas ramificações. Sou um bissexual de carteirinha, muito macho para as mulheres que trepam comigo e muito mocinha para os homens que me dominam. E foi com esse pensamento que, após terminar um namoro conturbado (heterossexual), fui ao encontro de um amigo da internet.

Esse amigo esta ansioso e havia se masturbado 3 vezes na noite em que marcamos o encontro, simplesmente por imaginar a rola dele atolada em meu rabinho. Cheguei no flat dele e fui muito bem recebido, com um beijo no rosto, um abraço e uma coca light. Sentamos na cama, um pouco deslocados devido ao pouco tempo de amizade real, até que ele pegou na minha mão, deu um sorriso e me beijou. Tiramos nossas roupas e ele sacou um cigarro e disse: posso te chupar enquanto você fuma? Sempre quis chupar um cara fumando. Eu aceitei, acendi o cigarro e me entreguei à boca dele. Minutos depois de muitas chupadas, pedi à ele pra chupá-lo, afinal, a pica dele era linda, grossa e devia ter uns 15 centímetros. Caí de boca rapidamente e fiz movimentos bruscos sem vacilar por um instante. Chupei ele por uns 15 minutos, doces quinze minutos. Logo depois ele pegou uma camisinha, colocou no pinto e pediu com toda ternura que eu me virasse. Eu, no mesmo instante que virei, senti o pau dele afundar dentro do meu cuzinho, que piscava muito. A dor se abraçava com o prazer e eu gemia muito. Ele começou à me bater como louco e minha bunda ficou vermelhinha como uma maça. E do mesmo modo que uma maça é saboreada, fui saboreado pelo meu perverso e tesudo amigo. Ele pediu pra gozar na parte de fora da minha bunda, e eu apenas dizia que ele mandava. Gozou gostoso até o gozo passar a fronteira da bunda e chegar em minhas costas. Fiquei deitado na cama dele, mamando o resto de porra que permanecia em sua pica.

Logo depois, me masturbei e gozei no peito dele, e ele parecia uma criancinha espalhando porra em seu peito. Que lindo.

Fomos tomar um banho pois eu estava atrasado para um compromisso. Mas ele estava tentado e não me perdoou no banho. Socou em minha bundinha até eu cair no chão molhado, ficando à mercê da rola magnifica de meu amigo. Sim, caí sem querer e ao notar à posição que fiquei caído, dei risadas, afinal, estava com a bunda pra cima e o cu piscando em meio às águas que caíam do chuveiro. Ele novamente não perdoou e atolou sua pica em meu rabo. Só que dessa vez ele me comia e cospia em minha bunda, dizendo que eu pertencia à ele pra sempre. Gozou lá dentro de meu frágil e surrado ânus, fazendo a porra transbordar para fora do cu, se misturando à água e caíndo no ralo.

Saímos do banho, me arrumei e nos beijamos por um tempo. Bebi uma dose de vodka que ele providencialmente me serviu e saí sorridente, com a sensação de serviço bem feito.

Sexo gay depois da caminhada

Bom meu nome é Gustavo (fictício) tenho 18 anos 1,67m, 65 k, olhos castanhos escuros e uma bunda bem gostosa.
Estava eu chegando da aula de computação. Assim q cheguei passei em minha casa para tomar um cafezinho antes de ir caminhar, pois estava desde ás 13h00min fora de casa, tomei meu café e partir para a caminhada, aproveitei e passei na casa de um amigo para chamá-lo. Ele se arrumou e fomos caminhar, caminhamos por uns 30 min. e fomos embora.
Antes de ir embora pra minha casa passei na casa desse meu amigo o Carlos (fictício) para scanear umas fotos de um desfile que fiz uma vez, só que sua irmã estava no PC, peguei e fui embora.
Quando comecei a subir a rua da minha casa apareceu Thiago (fictício).
Thiago é alto, um pouco mais moreno que eu, 1,77m com seu 73 k e bem gostoso.
Continuando: daí ele me perguntou se meu pai meche com criação de periquitos e eu todo inocente disse q não, mas que devia ser meu tio.
Thiago: a é deve ser seu tio mesmo, e você gosta muito de periquitos né?
Eu: concerteza!
Thiago: vou te dar meu periquito então!
Eu: duvido q você tenha coragem!
E eu já todo com vontade de pegar naquela pica q já mostrava sinal de vida daí Thiago vira e diz: você quer pegar?
Eu que não sou nem um pouco bobo fui e meti a mão.
O pau dele já estava durinho e ele perguntou: você vai querer mesmo?
Eu: sim!
Thiago: onde?
Eu disse que era para irmos para uma casa abandonada que ficava de frente para a casa da mãe dele.
Thiago: então pode ir descendo na frente!
Eu fui e comecei a descer, desci um pouquinho e entrei para a casa e ele logo em seguida estava atrás de mim. Cheguei lá fui direto abrindo sua calça e vendo seu mastro pulsando que devia ter seus 18 cm de puro tesão, não era muito grosso, mais bem cremoso.
Cai de boca e ele ainda não estava acreditando que eu estava chupando ele. E eu disse você ainda não imagina o que estar por vir… Chupei ele um pouco virei de costas para ele e abaixei a minha calça, lubrifiquei um pouco minha entradinha e encostei sua cabecinha na entrada do meu anel, forcei um pouquinho e sua cabeça abriu espaço para o restante de sua vara, doeu um pouco. E tirei seu pau de dentro de mim e fiquei brincando com sua vara no meio da minha bunda, coloquei seu pinto na entradinha mais uma vez e numa estoca entrou gostoso.
Me apoiei num tanque que ali estava e Thiago meteu sem pudor me levando as alturas, depois de me fuder bem gostoso ele gozou dentro de mim com maestria.
Eu me vesti Thiago também e na hora que eu estava saindo ele disse que não deveríamos ter feito isso, pois ele é casado, mais em seguida disse que depois me procuraria para repetimos. Eu fui embora com o cuzinho todinho cheio de porra!
Espero que vocês tenham gostado do meu conto, pois é a 1ª vez que conto uma história minha. Da próxima vez contarei pra vocês a historia do irmão de Thiago.